São Paulo
 
 
Web Diário
         
 
 
 
         
       
   
        Geral | Imóveis | Veículos  
   
         
 
 
Siga-nos no Twiter
| |
 
 
Assista nosso Canal
| |
 
 
 
Valorizadíssimo, Perdizes lidera verticalização em São Paulo

O bairro de Perdizes vive um boom imobiliário e está cada vez mais verticalizado. Conforme o Diário da Lapa já havia publicado que foi o bairro que mais se valorizou no último ano e é o que reúne maior número de empreendimentos imobiliários lançados no primeiro quadrimestre deste ano de 2011. Agora, segundo levantamento da administradora Lello Imóveis, Perdizes lidera a verticalização em São Paulo.

O bairro na Zona Oeste responde sozinha por 22% dos condomínios residenciais na cidade de São Paulo. Atrás, está o Jardins (19%) e Moema (13%).

E a verticalização segue a todo vapor. O Diário da Lapa publicou em junho que, de acordo com a pesquisa da Embraesp, foram lançadas 222 unidades somente em janeiro, fevereiro, março e abril, um crescimento de 33,7% em relação ao desempenho de todo ano de 2010. A quantidade de lançamentos nesse quadrimestre já supera a média anual de lançamentos desde 2007.

LOCAÇÃO
Mesmo com o valor médio da cota mensal dos condomínios em Perdizes registrada a R$ 687,00, superando a média mensal na cidade de São Paulo, que está em R$ 642,12, o mercado de locação também está bastante aquecido na região.
Principalmente em julho, mês de férias escolares e matrículas após os vestibulares de inverno. O bairro, que reúne universidades (como a PUC na Rua Ministro Godói, 969) está na rota dos estudantes.

“As unidades mais procuradas são as que possuem um ou dois dormitórios, próximas à faculdade”, afirma Roseli Hernandes, diretora da Lello Imóveis, que administra 1.200 condomínios.

A estudante Gabriela Santamaria, de 19 anos, que veio de Ribeirão Preto para cursar direito na PUC-SP, e depois de muita procura encontrou um apartamento na rua da PUC. “Normalmente, os estudantes são de famílias com bom poder aquisitivo que avaliam mais acomodidade do que o preço, já que vão ocupar o imóvel por quatro ou cinco anos”, ressalta Roseli.



Somente no primeiro quadrimestre, 222 unidades lançadas
Divulgação/Carlos Petrocilo

 
 
 
 
         
         
  Expediente | Fale Conosco | Anuncie Conosco  
         
  © 2010 Propriedade e Copyright AZOL PRESS