São Paulo
 
 
Web Diário
               
 
               
Capa | Últimas Notícias | Notícias da Lapa | Notícias da Zona Oeste
   
Serviços | Polícia | Comércio | Cultura e Lazer | Educação e Saúde | Esportes | Sociedade | Entidades | Artigos | Opinião
   
        Cultura | Lazer  
               
 
Siga-nos no Twiter
| |
 
 
Assista nosso Canal
| |
 
 
Depois da Alemanha, ópera multimídia sobre os ianomami estreia no Sesc Pompeia

Depois de passar pela Alemanha, a Ópera “AMAZÔNIA – TEATRO MÚSICA EM TRÊS PARTES” desembarca no Sesc Pompeia nesta quarta-feira, dia 21, e se apresenta até o próximo domingo, dia 25, mesclando imagens, sons, música, teatro, tecnologia e ciência. Os ingressos custam R$ 30.

Ao estrear na XII Bienal de Munique em maio deste ano, o projeto aborda o grupo indígenas dos yanomami, um dos maiores da Amazônia e que, há anos, denuncia invasão de garimpeiros em suas terras. O espetáculo contrapõe a vida e a espiritualidade dos xamãs e a visão tecnológicacientífica do mundo. A peça transmite, em três atos, a situação da maior floresta tropical do planeta, seus recursos únicos e a devastação pela qual passa há décadas.

Na primeira parte, destaca-se o olhar do colonizador, Sir Walter Raleigh, que descobre a Amazônia como o Eldorado, aproveita-se dela e a destrói. A segunda parte aborda o problema do desmatamento a partir do ponto de vista indígena e seus esforços para impedir a catástrofe (“Queda do Céu”). Na terceira, e última parte, o público acompanha uma conferência multimídia, na qual o destino da Amazônia está em jogo. Três dimensões de um tema a partir do qual se discute o futuro global.

Os organizadores pretendem propor ao público uma visão sobre a Amazônia e seus aspectos, como biodiversidade, queimadas, mudanças climáticas e, principalmente, a ameaça aos povos tradicionais da região. “O espetáculo traz uma temática contemporânea, de valores universais, que discutida à luz das artes, mostra ao espectador a inovação na mistura de tecnologia de som e imagem e a tradição Yanomami”, analisa o diretor do Sesc São Paulo, Danilo Santos de Miranda.

O espetáculo é uma co-produção do Instituto Goethe com Bienal de Munique, Sesc de São Paulo, Hutukara Associação Yanomami, Teatro Nacional São Carlos de Lisboa e Centro de Cultura e Mídia de Karlsruhe.

“Com os parceiros e artistas internacionais e o envolvimento de Yanomamis, pesquisadores e artistas nacionais, a entidade busca colaborar para estender esta discussão para além do palco, e trazer mais entendimento para as preocupações e possibilidades que a floresta oferece ao mundo”, finaliza o diretor do Sesc.

Sesc Pompeia
Rua Clélia, 93
Quarta a sábado, 20h. Domingo, 19h
Ingressos: R$ 30,00
Telefone para informações: (11) 3871-7700



Foto Regine Koerner

Espetáculo reúne imagens, sons, música, teatro, tecnologia e ciência


 
                        Expediente | Fale Conosco | Anuncie Conosco               © 2010 Propriedade e Copyright AZOL PRESS