São Paulo
 
 
Web Diário
         
 
 
 
         
       
   
   
         
 
 
Siga-nos no Twiter
| |
 
 
Assista nosso Canal
| |
 
 
 
Registro de furtos de carros na Lapa está acima da média da cidade

A notícia já é rotina na vida dos lapeanos, porém, não é nada animadora. O número de veículos furtados na Lapa supera a média da cidade paulistana em três vezes neste ano de 2010. Nos dez primeiros meses deste ano de 2011, somente o 7º Distrito Policial (Lapa) registrou 1.312 ocorrências do tipo.

Perdizes e Pinheiros não ficam atrás, com 1.074 e 1.009 ocorrências, respectivamente. Somente Lapa, Perdizes e Pinheiros respondem por 10% das ocorrências do tipo.

O capitão Mário Alves da Silva Filho, que assumiu o comando da 1ª Cia do 4º Batalhão da Polícia Militar no final de junho, já concedeu entrevista ao Diário da Lapa e falou sobre os desafios de assumir o policiamento na Lapa e região.

Mário falou sobre a preocupação da Polícia Militar no combate ao furto e roubo de veículos registrados no 7º Distrito Policial, que reúne os bairros Lapa, Lapa de Baixo, Vila Romana, Pompeia, Vila Ipojuca, entre outros, e lidera este tipo de crime na cidade de São Paulo. Ele, inclusive, revelou que já teve o seu Opala levado pelos ladrões após deixa-lo estacionado na rua Faustolo, em 1998.

“Eu deixei o carro, um Opala, estacionado e não encontrou mais ao retornar, é uma sensação muito ruim, é um região onde não há vaga para estacionar”, relembra.

Capitão da PM cita quatro vias com índices altos de furto e roubo de veículo na Lapa
Arrastões em bares e restaurantes na Zona Oeste não preocupam Comandante


De janeiro a julho, 1.211 carros foram levados na Lapa -292 roubados e 919 furtados- uma média de cinco veículos levados por dia pelos ladrões na região do 7º Distrito Policial. O segundo lugar pertence a Vila Clementino, na zona sul, com 489 roubos e 609 furtos.

O capitão garante que a Polícia trabalha para fazer a sua parte, porém, a população poderia ter mais consciência. “Hoje, todos têm seguro, então já pensam que se o carro for levado, não terá prejuízo. Mesmo ciente dos casos, os donos de carros não ficam atentos, mas muitos que não têm o seguro pagam pelos demais”.

Na entrevista, que segue abaixo, Mário dá dicas para a população seguir atenta, confira:

O senhor era responsável pela região de Franco da Rocha, antes de assumir a 1ª Cia do 4º Batalhão da Polícia Militar. Agora, terá mais trabalho?
Com certeza, eu deixei um Batalhão com cerca de nove furtos de veículos e aqui são 105 furtos de veículos por mês.

O que leva a este alto número de furtos de veículos?
Também gostaria de saber, não tenho essa resposta. Podemos alegar a verticalização, mas não é justificativa oficial. Se você deixar um carro estacionado das 6 horas da manhã até as 19 horas, não tem efetivo que vai evitar, mesmo que fosse triplicado. O ladrão age em poucos segundos

Capitão, conter roubo e furto de veículos é a sua principal missão ao assumir a 1ª Cia do 4º Batalhão da Polícia Militar?
Não, não é a principal, é uma delas. A Polícia Militar, como órgão do Poder Público e ligada diretamente à Secretaria da Segurança Pública, está preocupada com os problemas de forma macro, portanto todos os tipos de crime são preocupação na atuação dos Policiais Militares que labutam diuturnamente na região da Lapa e adjacências. É claro que o número de ocorrências de roubo e furto de veículo impressiona, não podemos negar isso, mas há, também, outros tipos de crimes que nos preocupam, como o roubo a transeuntes e a comércios, que são bastante traumáticos para as vítimas.

Arrastões em bares e restaurantes na Zona Oeste não preocupam comandante da PM

Na entrevista ao Diário da Lapa, o capitão Mário Alves da Silva, que assumiu a 1ª Cia do 4º Batalhão da Polícia Militar no final de junho, também falou sobre os arrastões em bares e restaurantes na Zona Oeste de São Paulo. O último ocorreu no dia 20 de agosto, quando o quatro homens armados entraram no bar Empório Sagarana e levaram pertences dos clientes, além de dinheiro do caixa do bar.

Além do roubo e furto de veículo, os arrastões em bares e restaurantes também preocupam os moradores desta região. O que pode nos dizer sobre este tipo de ocorrência?
Afirmo, sem sombra de dúvidas, que a ocorrência de roubo que houve no “Empório Sagarana”, na Rua Marco Aurélio, apesar de se assemelhar com aquelas havidas em outros bairros nobres de São Paulo, não são uma constante. Para você ter uma ideia de Janeiro a Agosto deste ano houve em nossa área 16 roubos a estabelecimentos comerciais (bares, restaurantes, lanchonetes, botecos e assemelhados), ou seja, 02 por mês. Num universo como o bairro da Lapa e adjacências, em que há inúmeros estabelecimentos com as características apontadas, haver 16 roubos não quer dizer que há arrastões em nossa área. O que aconteceu foi triste, é verdade; gostaríamos que não houvesse nenhum tipo de crime, que nós pudéssemos evitar qualquer um deles, mas não nos é possível fazê-lo, infelizmente. Todos estamos preocupados em oferecer o melhor de nós para a população Lapeana e à Comunidade em geral. Esses acontecimentos nos deixam muito chateados.


E MAIS:
Capitão da PM cita quatro vias com índices altos de furto e roubo de veículo na Lapa
Veja o endereço e telefone das Delegacias da Lapa e Região
Falta de segurança nas escolas pública gera preocupação na Lapa
Balanço da Virada: 4 milhões participaram, 500 pediram socorro, 150 toneladas de lixo e um morto
Ceagesp promove a Santa Feira do Peixe, com promoções e muitas opções
Dicas para escolher o bom peixe
Peixe faz bem para colesterol, boa memória e até depressão pós-parto
 



Roubo de veículos amedronta moradores

   
 
         
         
  Expediente | Fale Conosco | Anuncie Conosco  
         
  © 2010 Propriedade e Copyright AZOL PRESS